Ferramentas eléctricas essenciais para ter em casa

Publicado em 30 de Janeiro de 2009 por  

electric_drill_head_and_bitHá algum tempo atrás publicámos um artigo com as ferramentas essenciais para ter em casa. Desta vez vamos debruçar-nos apenas sobre as ferramentas eléctricas mais usuais. Iremos abordar o berbequim, a aparafusadora eléctrica,  a serra tico-tico ou serra de recortes, a lixadora e a pistola de cola quente.

– Berbequim eléctrico – É talvez a ferramenta eléctrica mais indispensável em casa. Quando precisamos de fazer um furo para um quadro, cortinados, candeeiros ou pequenos apliques torna-se essencial. Pode ser uma ferramenta perigosa, por isso há que ter algum cuidado e seguir algumas normas de segurança: segurar bem sem tapar os locais de ventilação, adequar as rotações ao material quando possível, tentar evitar locais onde há grande probabilidade de passar um tubo de canalização ou cabos de electricidade, apertar bem a broca antes para que não se solte durante o trabalho.

O berbequim eléctrico permite ainda outros adaptadores para além das brocas, é o caso de algumas peças para desgaste de materiais ou de misturadoras para tintas. Há berbequins que incluem um selector “martelo” que permite uma acção de maior impacto, especialmente útil para furar betão ou granito.

Com um berbequim e as brocas adequadas é possível furar betão, alvenaria, madeira, metais, ferro, plásticos. Para isso há que escolher bem a broca adequada, sugerimos que veja os vídeos que temos no nosso videoblog sobre os vários tipos de brocas.

– Aparafusadora eléctrica – As aparafusadoras eléctricas têm são normalmente acompanhadas de uma bateria, para que não seja necessário ligação de cabos durante o trabalho. Algumas, com maior potência têm ainda a função de berbequim, podendo ser seleccionada a velocidade de acordo com o fim pretendido.

Se já necessitou de aparafusar muitos parafusos de uma só vez esta ferramenta poderia ter feito a diferença. Por exemplo, na montagem de móveis que vêm totalmente desmontados ou na montagem de prateleiras, onde o número de parafusos é enorme, o cansaço e o tempo gasto é muito menor. Tem ainda a vantagem de poder ser utilizada com vários adaptadores de acordo com o parafuso usado.

– Lixadora eléctrica – Esta é uma ferramenta muto útil quando necessitamos de lixar grandes superfícies. Evita tempo e esforço, permitindo um trabalho mais homogéneo. È aconselhada para superfícies lisas tais como chão, portas, janelas. O seu uso é simples, bastando adquirir lixas com o formato da máquina que vai usar, ou então partir de folhas de lixa normais e cortar de acordo com o tamanho da máquina.

– Serra eléctrica (tico-tico) conhecida ainda por serra de recortes – Esta é uma serra eléctrica bastante útil para cortes de madeira, plástico e até de metal. As lâminas de serra permitem cortes com curvas sendo assim uma serra versátil para qualquer tipo de trabalho. As lâminas devem ser usadas de acordo com o material a cortar.

– Pistola de cola quente – O seu uso pode ser diversificado, mas habitualmente é usada para colar cabos de TV, áudio ou telefone de forma a que não fiquem soltos pela casa. Deve ser utilizada apenas quando já está bem quente, mantendo a uniformidade ao longo da colagem, de modo a evitar zonas de excesso ou ausência de cola. Normalmente as pistolas de cola quente mais baratas acabam por não compensar, já que nem sempre aquecem de forma uniforme e constante. A cola é vendida no formato de tubos que se colocam durante a utilização.

Calcular a quantidade de mosaicos necessária

Publicado em 23 de Janeiro de 2009 por  

230061_tiles_blackbColocar um pavimento ou revestimento com mosaicos ou azulejos não é difícil e pode ser feito mesmo com pouca experiência, desde que se tenha algum gosto e vontade de fazer este tipo de trabalho. No entanto, não é sobre isso que vamos falar no artigo de hoje, embora estejam já disponíveis alguns vídeos no nosso vídeoblog onde se podem ver técnicas aconselhadas para a colocação de revestimentos.

Precisa de calcular a quantidade de mosaicos ou azulejos?

1º passo – Calcular a área

Para calcular a quantidade de mosaicos para um pavimento ou a quantidade de azulejos para paredes devemos primeiro calcular a área do chão ou das paredes. Em salas, quartos ou divisões rectangulares o cálculo é fácil, basta multiplicar o comprimento pela largura. Por exemplo, uma sala rectangular em que os lados medem 6,5m e 4,2m tem de área 27,3m2. Quando as divisões não têm um formato rectangular, tendo por exemplo, um formato de L ou de T, uma técnica para calcular a área consiste na divisão do espaço em vários rectângulos. Depois é só calcular a área de cada um e somar.

De modo semelhante se pode calcular a área de paredes onde se pretende fazer um revestimento com azulejo, multiplicando a altura pretendida pelo comprimento em cada parede e somando depois todas estas áreas.

2º passo – Calcular a quantidade de mosaicos

Calculada a área, será necessário escolher o tipo de mosaico ou azulejo. Resta depois saber quantos mosaicos serão necessários. Na maior parte das caixas de material é feita a referência à quantidade aproximada de metros quadrados por caixa. Nestes casos divide-se a área do local pela quantidade de cada caixa, decidindo o número de caixas necessárias.

E se quisermos saber a quantidade de mosaicos necessária?

Para responder a esta questão construímos uma calculadora de mosaicos em Excel que pode ajudar. Temos duas opções disponíveis: mosaicos quadrados e mosaicos rectangulares. Para calcular a quantidade de mosaicos necessária basta introduzir a área do local e as medidas do mosaico. Será dada a quantidade de mosaicos a adquirir, que nunca deve ser comprada “à justa”. Os cortes, as quebras e as eventuais futuras substituições são pontos a considerar, pelo que deve adquirir sempre mais do que o necessário.

Poderá fazer o download a partir do seguinte link:

  Calculadora de quantidades de mosaicos (48,0 KiB, 17.180 acessos)

Pode ainda distribuir o ficheiro tal como está e da forma que quiser.

Em breve teremos novos simuladores e calculadoras úteis disponíveis na página de downloads.

Como montar uma cabine de banheira

Publicado em 14 de Janeiro de 2009 por  

ChuveiroRecebemos, através página dos contactos deste blog, o seguinte pedido de um leitor, ao qual vamos responder:

Gostaria de saber como montar uma cabine de banheira e quais os materiais necessários.

Aqui fica a nossa resposta que esperemos ser útil:

Por vezes nas banheiras usam-se cortinas para evitar que a água saia para fora. Estas cortinas devem ser limpas e substituídas com alguma regularidade. Um outro processo é o uso de cabines de banheira, que apesar de ser algo mais caro é também mais duradouro e mais eficiente.

Montar uma cabine para banheira ou uma cabine de duche (num poliban) é simples. Estas cabines, também designadas por painéis ou resguardos, são normalmente em acrílico e podem ser compradas em lojas da especialidade (de sanitários) ou em grandes superfícies como Leroy Merlin, Aki, Izi, Maxmat se for em Portugal.

Passos iniciais

No entanto, antes de adquirir a cabine para a banheira é necessário medir os lados da banheira onde irá levar o resguardo. Esta medição é feita pela zona externa da banheira. Em algumas casas de banho apenas será necessário resguardo num dos quatro lados da banheira, porque os outros três lados são parede. O mais habitual é que o resguardo fique em dois dos quatro lados da banheira. Para além da medição destes lados é por vezes útil medir em altura para ter uma ideia da altura desejada.

Estas cabines têm habitualmente tamanhos universais e podem ainda ser ajustáveis, mas há ainda lojas onde podem ser feitas à medida.

Para além da cabine deve ainda adquirir silicone para vedar o espaço que vai ficar entre a banheira e a cabine. O silicone deve ser apropriado para casas de banho (de preferência anti-fungos). Caso o modelo de cabine que adquirir não tenha parafusos para fixar à parede deve também comprá-los.

A montagem

A montagem inicia-se com a marcação dos locais a furar na parede, habitualmente dois de cada lado, com o apoio da parte metálica que vai ficar fixa na parede. Deve existir algum cuidado nesta marcação, pois devem ficar totalmente na vertical. Depois de marcar fura-se com broca adequada, coloca-se a bucha, as partes metálicas e aparafusa-se. Há depois parafusos que fixam a restante estrutura, incluindo as portas deslizantes a estas partes metálicas.

Fixada a estrutura coloca-se o silicone (apenas) na parte exterior da banheira eliminando totalmente os espaços entre a cabine e a banheira, bem como entre a estrutura metálica e a parede. O tempo de secagem (que é muitas vezes 24 horas) deve ser respeitado antes das primeiras utilizações.

Quanta água gasta com a sua torneira que pinga?

Publicado em 10 de Janeiro de 2009 por  

TorneiraTem uma torneira que pinga em casa?

Uma torneira que pinga é algo que incomoda, não só pelo que gasta desnecessariamente como também pelo barulho que por vezes faz de noite. Na maior parte das torneiras convencionais basta a substituição da anilha vedante para resolver o problema. As anilhas vedantes são baratas e esta substituição é fácil. Num próximo artigo iremos mostrar como subtituir uma anilha deste tipo. 

Quer saber quanto gasta com a sua torneira que pinga?

A equipa do Bricolage Total construiu um simulador de consumos para torneiras que pingam. Depois de várias experiências descobrimos como calcular a quantidade de água desperdiçada numa torneira que pinga e construímos um simulador usando o Excel.

 

Instruções para o uso do simulador

– 1º passo – Deve aproximar-se da sua torneira que pinga e com o auxílio de um relógio ou cronómetro deve contar as pingas que caem num minuto;

– 2º passo – introduzir o valor obtido no simulador;

– 3º passo – observar os valores obtidos (litros perdidos num dia, litros perdidos num mês e litros perdidos num ano) e reflectir sobre a poupança que não está a fazer!  

Poderá fazer o download a partir do seguinte link:

  Simulador de consumo de água numa torneira que pinga (43,0 KiB, 4.438 acessos)

Pode ainda distribuir o ficheiro tal como está e da forma que quiser.

Em breve teremos novos simuladores úteis disponíveis na página de downloads.

Um desafio à carpintaria do móvel

Publicado em 6 de Janeiro de 2009 por  

Com certeza muitos dos leitores deste blog têm em casa uma mesa extensível. Normalmente as mesas extensíveis surgem em mesas rectangulares, onde é possível aumentar o seu comprimento em um, ou até em dois lados prolongando a sua área útil. Há ainda mesas circulares ou ovais que permitem o prolongamento ficando uma mesa maior também com aspecto oval.

A grande inovação que hoje aqui apresentamos é uma mesa circular extensível, que ao girar sobre si própria fica maior e continua circular! Não acredita? Então é melhor ver:

Que tal? A dbfletcher tem a patente desta mesa que se abre dividindo o tampo original em 6 partes de amplitude 60º (360:6) e juntando várias partes num novo tampo maior. No centro observa-se que surge um polígono estrelado de 12 pontas. Uma fantástica obra do engenho e da geometria.

Segundo a marca a mesa permite um aumento da área útil em 73%, permitindo que onde se sentavam 6 pessoas fiquem agora 12, sendo muito utilizada em embarcações Yacht.

E que tal fazer uma mesa assim? É algo difícil, muito difícil até, mas que pode ser feito por quem gosta de bricolage a este nível. Se tem experiência e tempo recomendamos que o faça começando com um esboço, uma miniatura, eventualmente uma miniatura em cartolina ou outro material e só depois madeira.

Para quem tem a vontade, as ferramentas adequadas e o tempo deixamos um guia passo a passo que vai ajudar nesta árdua tarefa. Rick Christopherson é o autor deste excelente guia onde em 16 passos documenta, com fotografias notáveis, tudo o que fez para criar uma mesa deste tipo. A mesa circular extensível de Rick Christopherson parte da divisão da circunferência em 8 partes e não inclui um polígono estrelado ao centro como podemos observar nesta fotografia, no entanto, a engenharia geométrica é semelhante.

arrowanglecheck

O desafio está lançado. Talvez alguém da indústria do móvel, talvez até da capital do móvel, em Paços de Ferreira esteja a ler e queira avançar. Se o fizer é só dizer que nós divulgamos por aqui. Certamente muitos gostariam de ter uma mesa assim em casa, ou não?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...